Como está escrito em Zacarias 4:6
"... Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito,diz o SENHOR dos Exércitos".

Nós nos formamos no Seminário Batista Regular do Sul, a Epi em 85 e eu em 87.

 Em 1987 fui pastorear uma Congregação Batista Regular em S.J. dos Pinhais (PR) enquanto planejava sair aos povos não-alcançados. 



O termo Não-Alcançados define um grupo de indivíduos no qual não há uma comunidade nativa de crentes (cristãos) capazes de evangelizá-lo. Muitos destes grupos não tem conhecimento de quem é Deus. Jamais ouviram falar de Seu Filho, Jesus Cristo e desconhecem totalmente a necessidade de salvação. A lista de quem são os inalcançados é imensa, e passa por todos os continentes, grandes metrópoles, vilarejos, aldeias e tribos. 

Precisamos orar e alcançar estes povos, pois esta foi a ordem de Jesus: fazer discípulos de todas as nações.



Após assistir uma Conferência Missionária em São Paulo com o Pr. John White (autor do livro: Levante e Edifique - Editora Batista Regular) que alertava sobre a necessidade de igrejas que crescem e que enviam missionários, entendi que Deus queria que ficasse ali mesmo em Curitiba.

A Primeira IBR de Curitiba me convidou para pastoreá-la e fui desafiado a levantar a visão daquela igreja para a obra missionária.



Graças a Deus, quando saímos dali, 4 anos e meio mais tarde, a igreja desenvolvia-se bem e avançaram muito, graças ao trabalho dos dois pastores que me sucederam. 


Deus continuou com seu plano e nos chamou para o estado do Acre.Tivemos uma experiência muito boa ali na
Igreja Batista Regular Emanuel, em Rio Branco,
mas apenas por um ano e meio. 


  Foto recente da IBR Emanuel
De fato, foi uma experiência de transição em nosso ministério. Como fruto daquele trabalho, vimos duas congregações se desenvolverem e serem pastoreadas por alunos do SBRS.
Ao sair dali, o co-pastor que me ajudava, ficou na liderança.

Então, tive o privilégio de pastorear a igreja onde me converti e de onde saí para o seminário,
a Primeira IBR de Caçapava, SP. Ficamos ali seis anos.
Tivemos excelentes experiências do que é o ministério pastoral, bem como experiências duras também.

Quando deixei a liderança daquela igreja tinha uma grande expectativa a respeito de ingressar no campo missionário.

Logo recebi o convite para dar continuidade no
trabalho que tinha sido iniciado
pelos missionários que foram meus pastores:

Pr. George M. Moore, que ficou apenas nove meses em Mauá da Serra, iniciou a fundação da obra e Deus o levou para si e Pr. Erwin Evans que veio, concluiu a obra de construção mas precisava deixar o trabalho pois estava se aposentando.

Ao receber esse convite, estando em oração, eu e minha esposa não tivemos dúvidas que isso vinha de Deus. Logo a IBR de Marilândia do Sul, PR, pediu a transferência da nossa membresia e fomos para desenvolver a
Congregação Batista de Mauá da Serra, PR.
 [P8062917.JPG]

Meus planos foram de auxiliar essa congregação no seu desenvolvimento e levá-la ao ponto de se auto-governar e de se sustentar a si mesma. Após quase 7 anos trabalhando nesse objetivo, sentimos que deveríamos entregar novamente essa obra para a Igreja-mãe e voltarmos para o plano original de nos envolvermos com missões aos não-alcançados. 
Assim, Deus nos levou para a Índia onde estamos desenvolvendo o ministério: 
 
VISÃO.BRASIL-ÍNDIA.2020

Estamos trabalhando de várias formas, tais como ajudando no treinamento de obreiros, ajudando os evangelistas em seu esforço em difundir o evangelho e plantar igrejas e auxiliando com materiais evangelísticos. Funcianamos dessa forma como um elo entre os crentes indianos e os crentes brasileiros.

Jesus pede para orarmos por mais obreiros

"Na verdade, a seara é grande,
mas os trabalhadores são poucos;
rogai, pois, ao Senhor da seara
que mande trabalhadores
para a sua seara." - Lucas 10:2

"Estando no caminho o Senhor me guiou"
Gen. 24:27.


OREM POR NÓS
E
OREM PELA ÍNDIA
[Indiamap.jpg] 

Pr. Jeff & Épi